Desenvolvimento

Introdução resumida sobre o Framework .NET – Parte 1/2

3 362

Eu e mais alguns profissionais da área criamos recentemente um grupo de estudo .NET C# para entendimento mais aprofundado da plataforma. Pois bem! Estamos num ritmo excelente. Este grupo foi inicialmente criado internamente com reuniões semanais.

O motivo deste post é disponibilizar o conteúdo que desenvolvi com informações básicas garimpando dados do site da MSDN. Esse primeiro documento é um resumo rápido sobre o framework .NET e seu funcionamento.

Separei em duas partes para facilitar a leitura, até final de semana insiro a segunda parte.

Microsoft .NET é uma iniciativa da Microsoft em que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas e aplicações. Todo e qualquer código gerado para .NET, pode ser executado em qualquer dispositivo ou plataforma que possua um framework: a “Plataforma .NET” (.NET Framework). Com idéia semelhante à plataforma Java, o programador deixa de escrever código para um sistema ou dispositivo específico, e passa a escrever para a plataforma .NET.

O .NET Framework é um modelo de programação de código gerenciado da Microsoft para criar aplicativos em clientes, servidores ou dispositivos móveis. Os desenvolvedores podem usar o .NET para criar aplicativos de vários tipos: aplicativos Web, aplicativos para servidores, aplicativos de cliente, aplicativos de console, aplicativos de banco de dados e muito mais.

A plataforma .NET é executada sobre uma CLR (Common Language Runtime — Ambiente de Execução Independente de Linguagem) interagindo com uma Coleção de Bibliotecas Unificadas, que juntas formam o framework. Esta CLR é capaz de executar, atualmente, mais de vinte diferentes linguagens de programação, interagindo entre si como se fossem uma única linguagem. Estas são:

APL
Boo
COBOL
Component Pascal
C#
C++
Eiffel
Forth
Fortran
Haskell
Java
JScript
J#
Lua
Mercury
Mondrian
Oberon
Object Pascal / Delphi Language
Oz
Pascal
Perl
PowerBuilder
PowerShell
Python
RPG
Ruby
Scheme
SmallTalk
Standard ML
Visual Basic



O framework é instalado junto com o Visual Studio. A versão 1.1 (segunda versão) é instalada junto com o XP SP1. Usamos o Visual Studio (IDE) somente como uma interface de programação das bibliotecas .NET. Podemos usar também o software Web Matrix para desenvolver aplicações ASP.NET, que faz uso do .Net para entendimento das classes.

CLR (Common Language Runtime)

O coração da plataforma .NET é o CLR (Common Language Runtime), que é uma aplicação similar a uma máquina virtual que se encarrega de providenciar a execução das aplicações para ela escritas. São oferecidos a estas aplicações numerosos serviços que facilitam seu desenvolvimento e manutenção que favorece sua confiança e segurança. O CLR é o verdadeiro responsável pela integração entre as linguagens suportadas pela plataforma .NET. O compilador de cada linguagem segue uma série de padrões (Common Language Specification – CLS) para compilar seus códigos, por isso as outras linguagens conseguem “entender” as classes e os métodos, dentre outras informações, que essa linguagem definiu. Por exemplo, quando escrevo uma classe em SmallTalk.NET e a compilo, o compilador de SmallTalk não irá compilá-la da mesma forma que compilaria fora da plataforma, esse a compilará segundo uma série de especificações que gerará o IL (Intermediate Language – IL). Quando essa classe tiver que ser acessada por uma outra, escrita em C#, por exemplo, a plataforma .NET se encarregará de ler a IL gerada e expôr a classe que foi criada.

Common Language Runtime (CLR)

Common Language Runtime (CLR)

Common Language Infrastructure (CLI)

Common Language Infrastructure (CLI)

Plataformas suportadas

– Win 2000, WinXP, Win2003, Vista, Win2008, WinCE, Windows Mobile
– Linux e Solaris através do Mono
(Basicamente um plataforma que integra o framework com o Linux/Solaris. Não há uma distribuição da Microsoft.)

Histórico de versões

Versão Número Data
1.0 1.0.3705.0 05/01/2002
1.1 1.1.4322.573 01/04/2003
2.0 2.0.50727.42 07/11/2005
3.0 3.0.4506.30 06/11/2006
3.5 3.5.21022.8 09/11/2007



O mais importante aqui é sabermos sobre CLR, CLS e IL, ou seja, como tudo funciona.


Veja aqui a segunda parte do resumo.

Sobre o autor / 

Daniel Accorsi

Analista Web/Sistemas formado em 2004 pela Universidade UniFil em Londrina/PR, MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web, blogueiro, desenvolvedor Kinect e fotografia como hobby. Me encontre no Twitter - @DanielAccorsi

Comentários

Arquivo

Receba por e-mail

Você receberá pro e-mail as novas publicações do Alvo Conhecimento. Poderá cancelar a qualquer momento.