Comportamento

Dependemos de alguém, até sermos dependidos!

0 446

Estive pensando esses dias sobre como nos comportamos ao longo da vida em frente as nossas responsabilidades e compromissos. O fato é que existe uma linha divisória que estabelece o antes e o depois em nosso grau de responsabilidade. Até parece “filosofia viajada“, não é? Não é não! Bom, outro fato é que ninguém pode fugir disso, nem mesmo um alienado da vida. Nascemos, caímos, aprendemos, crescermos, caímos, aprendemos, crescemos, caímos e aprendemos. É um ciclo de aprendizado que nunca acaba. Desde o início da vida, seguindo em nossa adolescência e até mesmo em nossa juventude (na maioria dos casos), somos dependentes daqueles que nos criaram. Então nossa responsabilidade sobre as coisas da vida vai sendo moldada. Vivemos numa família comum e somos dependentes dessa família. Você, em sua adolescência, dependeu de seu pai, de sua mãe, de sua avó, de seu tio, ou de alguém que tenha acompanhado seu crescimento. Nós aprendemos que depender é bom, e também necessário. Aprendemos que isso é um fator básico da vida! É o que torna a vida “expansível“. Como disse, sua responsabilidade vai sendo moldada, porque um dia -não muito distante- vão depender de você também.

Enquanto nessa fase, é muito necessário aprender e prestar atenção sobre estas questões. Precisamos entender como a vida funciona, quais são as armadilhas e por fim entender como garantir nosso sucesso. Primeiro buscamos isso através das práticas e atitudes de nossas referências de vida (quem nos criou), em segundo tentamos entender os ensinamentos destas mesmas referências. Todo esse contexto se torna um ambiente de dependência preparatória para a vida. (Bastaram poucos minutos para chegar a esse ponto, num desses momentos onde paramos para pensar sobre nós mesmos: como vivemos, e quem somos hoje. Aliás, já parou para pensar sobre isso?)

Em certo momento da juventude começamos a sentir a necessidade de olharmos os desafios da vida com nossos próprios olhos, e não somente depender (até certo ponto) dos olhares críticos dos pais. Agora sim, estamos chegando perto daquela linha divisória mencionada acima. Começamos a entender como é a vida e o que quer dizer a palavra “dependência”! Então há a necessidade de atitudes nossas que nos colocarão num patamar maior de responsabilidades. Isso é bom e necessário. Infelizmente alguns não entendem essa necessidade; não entendem que passaram por um longo período de “treinamento” e que precisarão ser mais responsáveis, e também com toda certeza serão dependidos. Não conseguem identificar que estão entrando num nível maior em suas vidas! Estes terão consequências desastrosas profissionalmente, mas principalmente com suas futuras famílias.

É interessante pensar que, tudo o que passamos, também poderemos passar, justamente porque aprendemos da forma como vivemos enquanto criança, adolescência e juventude. E mais: poderemos fazer melhor, ou seja, pegar nossa história de vida, absorver todo nosso aprendizado, tirar os “negativos” e continuar a realizar nosso papel. Isso se chama sabedoria! Nesse período pessoas vão depender de você, e muito! Esposas, filhos, pais etc. Todos ao seu redor irão depender de você. E reafirmando, seus pais também! Afinal, a história na maioria das vezes é invertida, não por um motivo ou outro, mas pelo curso natural da vida.

Saiba qual é o momento de passar esta linha imaginária! Então realize seu papel de maneira sábia, definindo as novas prioridades de sua vida, e principalmente construindo tudo isso de forma bem presente.

Estarei falando novamente sobre isso, focando as dificuldades dos jovens em alcançar este grau obrigatório de responsabilidade.

Sobre o autor / 

Daniel Accorsi

Analista Web/Sistemas formado em 2004 pela Universidade UniFil em Londrina/PR, MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web, blogueiro, desenvolvedor Kinect e fotografia como hobby. Me encontre no Twitter - @DanielAccorsi

Comentários

Arquivo

Receba por e-mail

Você receberá pro e-mail as novas publicações do Alvo Conhecimento. Poderá cancelar a qualquer momento.