Comportamento, Inovação, Web

Publicidade baseada no comportamento e emoção

1 49

Imagine você, sentado em sua cadeira, totalmente relaxado (praticamente deitado) e se esforçando para enxergar as letras no monitor. Típica posição onde qualquer fisioterapeuta mataria você! Ainda neste ambiente, navegando sem destino pelas águas da Internet, se depara com um título que chama sua atenção! Você, ainda nessa situação deplorável e praticamente babando em cima do teclado, preocupa-se em entender o banner publicitário com letras garrafais, dizendo: “Você sabia que a má posição na cadeira está totalmente ligada às dores nas costas? Conheça nosso portal com dicas e sugestões”. De duas uma: você se endireita na cadeira (como fiz agora), ou você clica no banner porque mexeu diretamente com você… Bom, ou as duas coisas juntas. Conseguiu enxergar essa atmosfera? O anunciante consegue dar um tiro certeiro.

Kinect EmoçãoSua expressão diz tudo
A ideia é captar, através do sensor de movimentos e reconhecimento facial, todas as expressões espontâneas dos usuários enquanto navegam pela Internet, e assim garantir maior porcentagem no impacto do anúncio.  Essa possibilidade só conseguiu ser tratada de forma mais concreta com o lançamento do Kinect for Windows, que foi todo reestruturado para ser utilizado em PCs. Este conceito ainda está em fase de estudo técnico, porém o principal motivo é que o dispositivo ainda não se tornou realidade cotidiana. Os softwares ainda estão em processo de desenvolvimento e a aplicabilidade no contexto web está sendo otimizada, através de plugins e middlewares. Hoje em dia quem possui o Kinect for Windows são basicamente desenvolvedores e curiosos (como eu). Aproveitando (e infelizmente), aqui fica meu protesto: até data atual, este novo dispositivo, que foi lançado em 01/Fev de 2012, está sendo distribuído no Brasil por apenas uma única empresa oficial, por um preço extremamente exagerado. Veja aqui a lista de revendas global.

Tenho a opinião que o internauta poderá ou não optar por ativar este recurso em sua navegabilidade. O ponto positivo para garantir o sucesso desta previsão, é que o dispositivo estará -possivelmente- plugado o tempo todo, como qualquer outro.

Cuidado com o que você fala
A coisa não para por aí não. Com a otimização no reconhecimento de voz, o Kinect ofereceu um grande potencial para a publicidade direcionada. Anúncios baseados em palavras chaves verbais poderão ser definidos, e automaticamente veiculados ao anunciante, praticamente em tempo real.

Jogos online com “bate papo” poderão usar este recurso de forma abusiva. Levando em consideração que, para este público, vale tanto para PCs como para Consoles. A vantagem é que tanto um como outro, neste contexto o dispositivo já está conectado e possivelmente em uso, os anunciantes irão apenas reconhecer algumas palavras e jogar na cara do jogador suas imagens. Imagine isso.

Enfim…
Vejo que os programas de afiliados se tornarão fortes ferramentas de divulgação, oferecendo plataformas completas para conectividade entre a publicidade e o dispositivo (tecnicamente falando). Talvez o caminho ainda seja longo, até que todas as questões técnicas sejam resolvidas, e que a aceitação comportamental seja forte. Vamos aguardar, será que vai dar certo?

A ideia deste artigo foi baseada em duas notícias: Yahoo Notícias e ISTOÉ Independente.

Sobre o autor / 

Daniel Accorsi

Analista Web/Sistemas formado em 2004 pela Universidade UniFil em Londrina/PR, MBA em Marketing Digital e Gestão de Projetos Web, blogueiro, desenvolvedor Kinect e fotografia como hobby. Me encontre no Twitter - @DanielAccorsi

Comentários

Arquivo

Receba por e-mail

Você receberá pro e-mail as novas publicações do Alvo Conhecimento. Poderá cancelar a qualquer momento.